domingo, 28 de noviembre de 2010





Destaque
Acusados do Massacre de Felisburgo não foram julgadosO Massacre de Felisburgo – que vitimou cinco trabalhadores rurais – completou seis anos no último sábado (20). Mesmo passado esse tempo, nenhum acusado do crime foi preso ou julgado. O réu confesso do Massacre é o fazendeiro Adriano Chafik. Além de participar diretamente da ação, contratou 16 pistoleiros para atacar as 230 famílias do acampamento Terra Prometida, na fazenda Nova Alegria. O acampamento é organizado pelo MST. Um jagunço já morreu sem ser julgado. Outros 15 continuam em liberdade.
 

Notícias
Diretor do curso de direito reconhece que houve racismo na PUC
O diretor da Faculdade de Direito da PUC-SP, professor Marcelo Figueiredo, reconheceu a existência de racismo no caso que envolve estudantes do último ano. A bolsista Meire Rose Morais recebeu uma série de ofensas de uma colega por meio de uma lista de e-mails. O professor afirma que, apesar de abrigar diferentes grupos, a PUC não possui nehuma política voltada para promover a integração entre eles.
Aprovação da lei contra homofobia enfrenta resistência no Senado
Os homossexuais estão sofrendo cada vez mais atos de violência no Brasil. Os últimos casos que chamaram a atenção foram dos jovens espancados na Avenida Paulista, em São Paulo, e do estudante baleado no Rio de Janeiro após a 15ª Parada do Orgulho Gay. De acordo com relatório do Grupo Gay da Bahia, 387 homossexuais foram assassinatos entre 2008 e 2009.
População vai pagar caro por água da transposição do São Francisco
A população dos estados do Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará vai pagar a água mais cara do país após a concretização das obras de transposição do Rio São Francisco. O valor por mil litros da água será de aproximadamente R$ 0,13.O valor cobrado em outras bacias hidrográficas no Brasil é de, no máximo, R$ 0,02.
Conferência de Saúde da capital tem iregularidades na convocação
Por meio do Ministério Público Estadual, os conselheiros municipais de saúde da cidade de São Paulo acionaram a Justiça para pedir o adiamento da 15º Conferência Municipal de Saúde. Conforme denúncia, a sociedade ficará de fora do debate que tem como foco a busca da qualidade nos serviços oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).
Pacientes esperam até seis meses para tratar câncer de mama
Depois de diagnosticada a doença, o início do tratamento de pacientes com câncer de mama pode levar até 180 dias no estado de São Paulo. A constatação foi feita pela Sociedade Americana do Câncer (ACS) e apresentada à Comissão de Saúde e Higiene da Assembleia Legislativa na última semana. Essa demora prejudica o tratamento, pois um tumor pode dobrar de tamanho em apenas 90 dias.

Todo o conteúdo da Radioagência NP pode ser reproduzido em qualquer veículo de comunicação,
desde que citada a fonte e mantida a íntegra do material.